×

O que é ensino híbrido? Entenda a metodologia que veio para ficar

Você sabia que é possível aumentar a produtividade e engajamento dos alunos com o ensino hibrido? Descubra, neste artigo, outras vantagens e como superar desafios desta nova modalidade.

 

O ensino à distância sempre foi uma alternativa para quem busca maior flexibilidade e conforto, afinal, os estudos podem ser realizados em casa ou em qualquer lugar que corresponder à necessidade do aluno.

No entanto, o distanciamento social, provocado pela pandemia do coronavírus, fez com que as instituições de ensino precisassem se reinventar. Para isso, praticamente todas elas acabaram adotando o sistema híbrido.  

Isso possibilitou que as aulas continuassem acontecendo mesmo durante a crise global de saúde, sem que as salas de aula estivessem cheias de estudantes. No entanto, embora essa alternativa tenha sido vista como a melhor solução para esse período, ela também trouxe inúmeros desafios.

Além da falta de preparo para adotá-la, pelo menos na maioria das instituições de ensino, alguns cursos requerem aulas práticas. É o que acontece, por exemplo, nas graduações da área da saúde. 

Os estudantes precisam praticar e desenvolver habilidades que, muitas vezes, a distância impede que sejam feitas. No entanto, esses cursos também precisaram adotar essa alternativa.

Veja o que é ensino híbrido, os desafios e vantagens.

O que é ensino híbrido e qual a relação com as metodologias ativas?

As metodologias ativas buscam transformar o estudante em protagonista do seu aprendizado. Assim, ele — que era um ouvinte de aulas expositivas — passa a ser estimulado a buscar pelo conhecimento.

Para isso, comumente são usadas ferramentas tecnológicas que permitem que o estudante faça suas próprias pesquisas, assista a vídeos e interaja com o conteúdo de diferentes formas. 

É possível dizer que as metodologias ativas focam em um processo de aprendizagem flexível e híbrido. Mas, afinal, o que é ensino híbrido? 

Essa maneira de transmitir o conhecimento nada mais é do que alternar entre conteúdos presenciais e digitais. Dessa forma, as metodologias ativas e o ensino híbrido foram unidos em épocas de pandemia, para que as aulas pudessem acontecer. 

O aluno foi incentivado a buscar pelo seu conhecimento, recebendo aulas online e muito conteúdo digital.

Quais são as vantagens do ensino híbrido?

Um dos benefícios do ensino híbrido é dar aos alunos a possibilidade de ter uma rotina de estudos conforme as suas necessidades e possibilidades. Claro que, muitas vezes, os discentes precisarão comparecer à instituição de ensino para aulas práticas, apresentação de trabalhos, entre outros.

Contudo, o estudo online e as pesquisas podem ser realizados conforme o cronograma feito pelos próprios estudantes. 

Isso facilita a rotina de quem, por exemplo, começa a fazer um estágio na área, pois permite maior dedicação às duas atividades, sem que nenhuma delas seja prejudicada. 

No entanto, existem outras vantagens do ensino híbrido. Confira a baixo: 

Otimização do tempo do docente

Muitas vezes, assim como acontece nas metodologias ativas, no ensino híbrido o professor será um orientador do grupo, em parte do tempo. Sem contar que como o fluxo de conteúdos é otimizado, o docente gasta menos tempo com planejamento. 

Dessa forma, consegue focar em atividades importantes, como o acompanhamento dos estudantes.

Melhor aproveitamento das aulas presenciais

Nessa categoria de ensino, o estudante tem acesso ao tema que será abordado na sala de aula, antes que ele vá até ela. 

Assim, o aluno já chega pronto e com conhecimento para debater e sanar possíveis dúvidas com o docente e com os colegas. Consequentemente, gera maior engajamento, tornando as atividades presenciais mais proveitosas.

Desafios do ensino híbrido

Há cursos de graduação que realmente conseguem se adaptar ao ensino híbrido com mais facilidade. No entanto, cursos da área da saúde costumam ter mais dificuldade, já que requerem aulas práticas.

Competências que precisam ser adquiridas pelos alunos não podem ser ensinadas a distância. Além disso, muitas vezes, por estarem mais acostumados ao ensino prático, os estudantes acabam aceitando as aulas virtuais como um complemento e não como a principal maneira de transmitir e receber conhecimento.

Sem contar que disciplinas como citologia e anatomia, por exemplo, requerem aulas em laboratórios. O mesmo vale para o treinamento da realização da anamnese, que precisa ser feito com pessoas e casos reais. 

Para contornar esse desafio, é preciso investir em uma plataforma de conteúdos adequada para o ensino da área da saúde. 

Como exemplo, citamos a nossa plataforma Lt que já está adequada para:

  • o estudo de exames de pacientes reais;

  • o registro de dados fisiológicos em tempo real;

  • materiais teóricos e laboratórios práticos editáveis, entre outros.

Ao adotar esse tipo de conteúdo, a rotina de aulas será facilitada e o ensino híbrido será aplicado de forma eficiente, até mesmo em cursos dessa área.

 Acompanhe todas as novidades pelas nossas redes sociais e descubra formas que poderão revolucionar o ensino em sua instituição!

 

27 out 2021