×

Metodologia Ativa de Ensino: o que você precisa saber para inovar no ensino

Como a metodologia ativa de ensino pode mudar a maneira de ensinar? Veja algumas práticas e os benefícios de adotá-la, neste artigo!

 

A tecnologia mudou desde a maneira como as pessoas pedem uma pizza, até como se informam no dia a dia. Nesse meio, as novas gerações estão acostumadas com a conectividade, velocidade de informações e acesso fácil a elas. 

Assim, para esse grupo, uma aula expositiva nem sempre é a mais atrativa. Por isso, algumas estratégias precisam ser usadas e é nesse ponto que a metodologia ativa de ensino atua.

Afinal, para ter sucesso na transmissão do conhecimento é preciso deixá-lo interessante para os estudantes. Dessa forma, o docente tem que estar preparado para se aproximar da realidade do discente. E, se essa vivência é baseada em tecnologia, por que não levar isso para dentro da sala de aula?

É nessa relação entre a tecnologia e a educação que a metodologia ativa de ensino foca. Saiba mais sobre ela e veja exemplos de como aplicá-la no ambiente educacional.

O que são as metodologias ativas de ensino?

No modelo mais tradicional de ensino, o estudante deve ir para a aula pronto para assistir à explanação do professor. As aulas expositivas focam na constante explicação de conteúdo que, quase sempre, é transmitido com o uso de uma lousa.

O estudante é um ouvinte e o professor é o principal participante do momento, o que leva o acadêmico a ter menos autonomia em relação ao seu processo de aprendizagem. E isso nem sempre motiva o estudante a se envolver com o curso.

É por isso que a metodologia ativa de ensino propõe uma grande mudança nesse processo. Se na aula expositiva o docente era o protagonista, na metodologia ativa de ensino ele passa a ser um mediador. O protagonismo da aprendizagem ficará responsável pelo aluno.

Com atividades bem elaboradas, ele é chamado a pensar, pesquisar e buscar pelo conhecimento. Dessa forma, as aulas se tornam mais dinâmicas e interessantes. Afinal, os discentes passam a ser desafiados diariamente para buscarem informação e concluírem os exercícios propostos.

Em suma, a metodologia ativa de ensino consiste em adotar práticas de ensino que permitam que o estudante tenha maior presença no processo de aprendizado.

Metodologia ativa de ensino x pirâmide de William Glasser

Como é mais fácil processar uma informação e gravá-la? É melhor ouvir alguém contar? Ver o vídeo? Conforme a teoria do psiquiatra americano William Glasser, cada processo de ensino tem uma eficiência. Para exemplificar isso, foi criada a pirâmide da aprendizagem de William Glasser que sugere que os estudantes aprendem aproximadamente:

  • 10% lendo;

  • 20% escrevendo;

  • 50% observando e escutando;

  • 70% discutindo com outras pessoas;

  • 80% praticando;

  • 95% ensinando.

Com base nisso, é possível identificar que embora ele absorva o conteúdo de uma aula expositiva, participar ativamente da aula resulta em um aprendizado mais consolidado. Assim, a apresentação de um seminário ou a participação de um debate, por exemplo, pode ser muito mais eficiente do que ler ou assistir a uma aula.

A metodologia ativa de ensino leva isso em consideração e foca em aulas que instiguem o aluno e induzam a sua participação. Dessa forma, oferece benefícios como:

  • ajudar o aluno a desenvolver mais autonomia e confiança na hora de estudar;

  • permitir que o discente tenha acesso a formatos diferentes do mesmo conteúdo, o que ajudará na compreensão;

  • ajudar o estudante a desenvolver a habilidade de resolução de problemas;

  • colaborar para se tornarem profissionais mais qualificados e valorizados;

  • tornar o ambiente acadêmico mais flexível o que, consequentemente, acaba atraindo mais alunos.

Metodologia ativa x ensino híbrido

Um dos métodos ativos muito usados, sendo inclusive comumente adotado no sistema híbrido, é a sala de aula invertida (flipped classroom). Consiste no uso de conteúdos virtuais para preparar o aluno para a sala de aula presencial.

Em suma, o estudante tem acesso a vídeos, e-books — entre outros materiais online — que servem para ter os primeiros contatos com o tema abordado em aula. Após os estudos em casa, o aluno segue para a sala de aula para debater sobre o tema, sanar dúvidas ou analisar estudos de caso.

Essa prática entrega maior autonomia para o estudante e faz com que ele participe da aula. Além disso, há a grande vantagem de ter acesso a recursos variados, que abordarão o mesmo conteúdo. Isso acaba por respeitar a maneira de aprender de cada um e dá o suporte que o estudante precisa.

Por fim, é válido ressaltar que essa metodologia ativa de ensino vem sendo muito usada no sistema híbrido, adotado devido à pandemia de coronavírus.

Exemplos de metodologias ativas

Conheça algumas das metodologias ativas comumente usadas em instituições de ensino e como o uso da tecnologia é essencial nesse processo.

Situações problema

Um problema é apresentado ao aluno, que deve investigar e descobrir alternativas de como saná-lo. Frequentemente, o docente apresenta uma situação real, como um desafio enfrentado pela sociedade, e pede que o aluno pesquise e descubra formas de mudar tal realidade.

Assim, o estudante pode usar o computador para acessar vídeos, documentários, artigos científicos, entre outros. Com base no que encontrou e estudou, pode elaborar a sua própria alternativa de resolução do problema proposto.

Isso o incentiva não apenas a busca pelo conhecimento, mas também a desenvolver a capacidade de análise e de resolução de problemas. Neste método, o docente tem o papel de fazer a proposta e instigar o estudante a encontrar a solução por conta própria.

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida consiste em oferecer o conteúdo para o discente estudar em casa, sozinho. Quando retornar à aula, o tempo será usado para debater sobre o tema e sanar dúvidas.

Em suma, o professor pode indicar um texto ou um vídeo para que o acadêmico estude e se familiarize com o conteúdo. Assim, com o conhecimento antecipado do assunto da aula, os discentes estarão prontos para participar e debater sobre ela.

Gamificação

Como o nome sugere, trata-se do uso de jogos para ensinar. Para isso, o professor precisa ser criativo e pode usar desde jogos virtuais ou tabuleiro, por exemplo. Geralmente, esse tipo de metodologia ativa de ensino é muito atrativo para estudantes de diversas áreas e os instiga a participar.

Aprendizagem entre pares ou equipes

Consiste na formação de grupos para o compartilhamento de ideias e busca de conhecimento em conjunto. Eles podem tanto elaborar um projeto, quanto resolver um problema, atuando em grupo. 

Assim, além de usarem a tecnologia para pesquisas, poderão debater, ouvir e compreender opiniões divergentes. Também contarão com a ajuda do colega para ter outra visão do mesmo ponto.

Em um mundo em que a tecnologia faz parte do dia a dia, o uso da metodologia ativa de ensino é praticamente inevitável. Cabe à instituição oferecer ferramentas, como uma plataforma virtual de qualidade, para que o docente possa adequar suas aulas e se ajustar ao novo tempo.

Gostou? Então, não se esqueça de nos seguir nas redes sociais! Também navegue em nosso blog para ter acesso a outros conteúdos informativos!

 

9 nov 2021