×

Tipos de aprendizagem: aprenda a adaptar suas aulas

A maneira com que o conteúdo é absorvido por parte dos discentes tem relação direta com os diferentes tipos de aprendizado. Saiba como explorá-los no artigo a seguir.

Cada pessoa tem um jeito único de processar e absorver informações, essa individualidade ganha maior destaque quando aplicadas na potencialização dos estudos. Nesse cenário, para que os docentes encontrem a melhor forma de ministrar conteúdos e promover a absorção por parte da classe, deve-se explorar os diferentes tipos de aprendizagem.

Enquanto uma parcela de alunos anota tudo o que é dito em sala de aula, a outra prefere apenas ter atenção plena, ouvindo e gravando cada palavra mentalmente. Há também aqueles que compreendem melhor assistindo a vídeos ou até realizando aulas práticas.

Dessa forma, é importante que o docente ofereça ferramentas diversificadas para contemplar os diferentes tipos de estudante. Com a adoção das metodologias ativas, por exemplo, é dada ao aluno a possibilidade de absorver o conteúdo de diferentes formas para encontrar a maneira mais agradável e eficiente, individualmente.

A seguir, compreenda algumas teorias sobre os tipos de aprendizagem.

Teorias sobre os tipos de aprendizagem

Entre as teorias de aprendizagem e suas classificações mais usadas, estão a de VARK e a de Kolb.

O modelo de VARK (do inglês “Visual, Auditory, Reading and Kinesthetic”) foi criado por Neil Fleming e Charles Bonwell, e classifica os tipos de aprendizagem em quatro, do infantil ao adulto.

Já a teoria de Kolb, difundida pelo teórico americano David Kolb, é baseada principalmente na aprendizagem de adultos. A classificação também é dividida em quatro.

Tipos de aprendizagem segundo o modelo de VARK

Aprendizagem Visual

Como o nome sugere, refere-se a pessoas que melhor compreendem e armazenam informações quando observam o conteúdo. De modo geral, essas pessoas têm facilidade em estudar usando:

  • gráficos;

  • tabelas;

  • mapas mentais;

  • listas;

  • entre outros.

Esses alunos também costumam ter maior facilidade em recordar exatamente o que viram na apostila ou no caderno enquanto estudavam. Por isso, para estimular e melhorar a absorção do conteúdo por parte desses estudantes, o professor deve investir em materiais visuais como esquemas, gráficos e desenhos, usando cores e formas diversificadas.

Auditiva

Dentre os tipos de aprendizagem, este considera as pessoas que retém melhor a informação ao ouvi-la, absorvendo bem o conteúdo transmitido nas aulas expositivas. Porém, além delas, o docente pode oferecer materiais complementares para os estudos. Dentre eles:

  • podcasts;

  • músicas;

  • exercícios que solicitem a leitura em voz alta;

  • discussões em salas de aula;

  • seminários;

  • debates.

Escrita

Alunos que aprendem melhor com a escrita tendem a fazer muitas anotações durante a aula, como uma transcrição. São aqueles que costumam destacar conteúdos na apostila e têm o caderno mais completo. Geralmente, essas pessoas têm o hábito de leitura e se destacam nas resoluções de questões interpretativas.

Para esses alunos, o professor pode investir na disponibilização de textos extraclasse de forma online, bem como de artigos científicos e a indicação de livros complementares.

Cinestésico

É esse o nome dado às pessoas que aprendem enquanto praticam. É o caso de alunos com dificuldades em aprender durante uma aula expositiva, mas que se destacam nas aulas práticas. Para esse grupo, é indicado oferecer atividades interativas e laboratórios práticos.

Por fim, vale lembrar que embora esses quatro grupos distintos possam ser encontrados em sala de aula, há também os chamados multimodais. Esse é o grupo de acadêmicos que reúne todos os tipos de aprendizagem e conseguem absorver o conteúdo de diversas maneiras.

Tipos de aprendizagem segundo a teoria de Kolb

Adaptadores ou acomodadores

Sãp pessoas que preferem aprender pela experimentação, com tentativa e erro, ao invés de ler manuais ou estudar teorias prontas. Comumente, estão mais abertos para assumir riscos, por isso, tendem a gostar de aulas práticas.

Assimiladores

São os indivíduos que gostam de ler e refletir a fundo sobre um tema. Grandes adeptos das teorias, são considerados indivíduos sociáveis. Para esse grupo, indicar livros e artigos é sempre uma boa ideia.

Divergentes

Essas pessoas gostam de aprender com as observações e sensações. Costumam ser muito criativas e empáticas. Grupos com este estilo de aprendizagem também costumam desempenhar melhor em situações onde são necessárias o desenvolvimento de ideias.

Convergentes

Fazem parte desse grupo as pessoas que gostam de estudar e entender como aquela teoria poderia ser aplicada na prática. Geralmente, têm afinidade com estudos de caso e são adeptos da execução prática das ideias, apreciando a resolução de problemas e tomada de decisão.

Em uma sala de aula, o professor encontrará estudantes que possuem diferentes categorias de aprendizagem. Por isso, é importante variar os tipos de conteúdo e recorrer à tecnologia como ferramenta auxiliar para isso. Ao ensinar com materiais e abordagens variadas o professor conseguirá aproximar e engajar, cada vez mais, os alunos e o objeto de estudo.

Gostou dessas dicas? Então, siga a ADInstruments nas redes sociais e receba novos conteúdos semanalmente, direto em seu feed. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

19 abr 2022